segunda-feira, 11 de junho de 2012

O Primeiro Amor

 
 
Tem perfume de rosas

Sentimentos inconfessos

Pensamentos alados

E encontros secretos.



O olhar meditativo

esconde a mente galopante

E a dor no peito aperta

de tanto querer o amante.



O primeiro amor é terno e doce

Quando transborda de saudades,

Mas há os que queimam e consomem

De grande e teimosa ansiedade.



Ninguém esquece o primeiro cálice

De vinho do amor adolescente

Ninguém jamais experimenta

Desse eterno sabor novamente.



Cristina Ferber